Notícias

Problemas com água custam 14 bilhões de dólares para empresas em 2016

Contratos para Fornecimento de Água

Até mesmo países com o recurso em abundância, como o Brasil, sem uma boa gestão hídrica passam por dificuldades de abastecimento.

Estudos realizado pela organização governamental inglesa CDP (Carbon Disclosure Program) de 2016 apontam que os impactos relacionados à água (como aumento do estresse hídrico, poluição, seca e inundações) custaram 14 bilhões de dólares em um ano para as empresas, de acordo com o último levantamento divulgado em 2015, o valor é cinco vezes maior. A CPD levantou essas informações com mais de 600 companhias globais sobre gestão de recursos hídricos e concluiu que 54% delas estabeleceram metas e objetivos relacionadas a água, ou seja, a gestão sustentável destes recursos tem despertado cada vez mais o interesse do setor privado.

Até mesmo países com o recurso em abundância, como o Brasil, sem uma boa gestão hídrica passam por dificuldades de abastecimento. Em 2015 o país enfrentou a pior crise hídrica em décadas, mesmo sendo detentor de 12% do volume mundial de água doce e algumas das maiores bacias hidrográficas do mundo (Rio Amazonas, Paraná e São Francisco). Um relatório da ANA (Agência Nacional de Águas) lançado o ano de passado aponta que desde 2012 eventos de seca vem em expansão atingindo regiões que, até então, não eram afetas com a escassez de chuva como Centro-Oeste e Sudeste. O estado de São Paulo, por exemplo, detém um terço das atividades econômicas do país e um quinto da população brasileira, em 2015 passou pela pior seca desde 1930, segundo o relatório “Governança dos Recursos Hídricos no Brasil”, produzido pela OCDE. Entre 2012 e 2015, no Nordeste, a seca causou prejuízos de 104 bilhões de reais, atingindo principalmente a agricultura e pecuária, segundo reportagem do Estado divulgada em 09 de janeiro deste ano.

De acordo com Patrick Thadeu Thomas, superintendente-adjunto de Regulação da ANA, O segmento industrial é responsável pela retirada de 15% de água dos mananciais brasileiros. A nível Global, a irrigação é a atividade que, mais utiliza o recurso, cerca de 70%. Segundo Thomas, todo o setor produtivo deve investir no uso sustentável não apenas para cortar custos, mas para garantir a oferta de água para manutenção e aumento da produção no futuro. A solução é investir em tecnologias adequadas a sua área de produção e na prática do reúso de água.

Outro estudo realizado pelo CDP com empresas da América Latina que aponta que metade das organizações diminuíram ou mantiveram o consumo e descarte de água, indicando que os riscos de uma má gestão do recurso é cada vez mais notável. O estudo identificou que as principais ações tomadas pelas empresas estão relacionadas a investimento em infraestrutura, tecnologias e ações de conscientização. No entanto, são necessárias ações mais ambiciosas.